GENERAL AJAX PORTO PINHEIRO – Relato 08/09/2017

 

 

 

 

Em outubro de 2016, após a passagem do furacão Mattew, que cortou a península sul do Haiti a 270 km/, sobrevoei a área atingida e depois percorri por terra as dezenas de cidades e vilas. Foi assustador. O cenário de destruição lembrava aquelas cidades destruídas por bombardeios na II GM. Árvores centenárias arrancadas como capim, coqueirais inteiros levados pelo vento, nenhuma igreja intacta, milhares de casebres e prédios destroçados e muita gente implorando por socorro quando passávamos nos helicópteros ou veículos da ONU.
Ontem o Irma passou muito perto da costa norte haitiana. A 300 km/h, numa frente de 500 km ( o Matthew tinha uma frente de aproximadamente 300 km)!
Ja havia destruído tudo em sua passagem. Anunciava-se um desastre no Haiti. O Irma quebrou o recorde de mais violento furacão formado no Atlântico, maior tempo de permanência na categoria 5.
Nao havia chance de o Haiti, o mais desestruturado país das Américas escapar incólume. Só mesmo um milagre. E como soldado, prefiro não
acreditar em milagres…
Ontem, ao nos aproximarmos da area do desastre, os soldados dormiram em containers.
Hoje sobrevoei a área atingida por quatro horas.
Imaginei que veria um cenario de desastre…
Até agora estou intrigado com o que aconteceu ontem. E como se o Haiti tivesse sido protegido por uma bolha enquanto o Irma passava. Nem a Ilha La Tortue ,no extremo norte, que estava na rota do furacão sofreu qualquer impacto. Nenhuma árvore arrancada, nenhum casebre destruído.
No ano passado, ao fazermos uma patrulha no sul do pais, bastou o sopro das helices de um de nossos helicopteros para destruir uma escola ( a ONU assumiu os prejuízos!). Mas agora um furacao de 500 km de frente com velocidade de 300 km/h passou proximo as praias do Haiti e nao causou nenhum efeito!
Até agora nao consegui entender o que aconteceu ontem. E olha que nao acredito em milagres…

General Ajax é o Comandante geral das tropas da ONU no Haiti.

 

Matéria enviada pelo Presidente da AORE BELÉM Rui Cohen

Compartilhe!

3 thoughts on “GENERAL AJAX PORTO PINHEIRO – Relato 08/09/2017”

  1. General o Brasil precisa do exército para acabar com essa vagabundagem no poder público e sei que o Sr seria um grande presidente pra nossa nação

  2. Tenho maior respeito pelo General Ajax Porto, desde a época que foi meu Tenente e comandante de companhia no 4Bis Rio Branco-AC, em 1984, párabens General… Selva!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *